DIVÓRCIO E MEGASENA

CRAVO vivia com FLOR em um miserê danado. As coisas não davam certo. Sem trabalho sujeitava-se a morar no puxadinho da casa da sogra, com todos os incovenientes advindos dessa lamentável proximidade.

Um dia, supostamente exaurido de desventuras, CRAVO comunicou à FLOR que não mais pretendia manter o casamento. Disse a ela que era por demais penosa a vida humilhante que levavam, que ele era um fracassado, que a culpa não era dela mas somente dele, que não fora homem suficiente para zelar por ela, que ela lhe perdoasse pelo tempo desperdiçado, etc, etc, etc.

Pediu então que FLOR considerasse a hipótese do divórcio. Ela a princípio achou que a medida era extrema, mas tanto gemeu o CRAVO, tanto insistiu e tanto chorou que ela não teve outra opção senão anuir.

Divorciaram-se consensual e rapidamente. Nada partilharam, porque não havia o que partilhar a não ser móveis velhos e utensílios degradados.

Passados três meses do divórcio, CRAVO começou a transitar dentro de um enorme carro utilitário, novinho e lustroso. FLOR achou que ele tinha arranjado um bico de motorista.

Depois, soube que ele estava morando em um belo, amplo e nobre apartamento. Supôs que CRAVO estaria residindo na casa do patrão.

Mais adiante, soube que ele seria o proprietário de uma enorme propriedade rural, e quando o viu não o reconheceu: estava mais moço, cabelos penteados, banho tomado, encaixado dentro de roupas que pareciam feitas sob encomenda para ele.

FLOR observava tudo de longe e pensava consigo: Não é que o desgraçado enriqueceu depois do divórcio! Será que eu é que lhe dava azar?

Para encurtar a estória, depois de um mínimo de investigação FLOR descobriu que CRAVO tinha ganhado na megasena, e mais, ganhou quando estava casado com ela.

O danado teve o sangue frio de não contar a esposa, nem demonstrar riqueza até que conseguisse o divórcio.

Para quem acha que esse enredo não acontece na vida real, veja a notícia de um caso ocorrido em Minas Gerais:

TJMG determina partilha de prêmio da Mega Sena

A 1ª Câmara Cível do TJMG manteve sentença de 1ª Instância que determinou a partilha de todos os bens de J. R. S. em 50% com sua ex-mulher E. L. A.D. Os bens deverão ser partilhados até cobrir o valor equivalente à metade de R$ 15.266.620,56, prêmio da Mega Sena por ele obtido e omitido durante o processo de separação.
Segundo E. L. A. D., em 29/10/98, foi homologada a separação consensual do casal, com a partilha do único bem imóvel que era de seu conhecimento. No entanto, E. L. A. D. constatou que, logo após a separação, J. R. S. teve uma súbita mudança no seu padrão de vida. A partir de comentários surgidos no município, E. L. A. D. procurou a casa lotérica que confirmou a informação de que seu ex-marido teria ganhado o prêmio em setembro de 1998.
J. R. S. sustentou que a partilha dos bens no processo de separação aconteceu de forma legal em 29/10/98. Segundo ele, os seus bens atuais foram adquiridos após 17/06/98, quando já estavam separados. J. R. S. também afirmou que seus bens foram adquiridos com seu esforço próprio, sem a contribuição de sua ex-mulher.
Os desembargadores consideraram que é legítima a pretensão de E. L. A. D. de receber metade do valor do prêmio da Mega Sena, pago ao seu ex-marido quando ainda eram casados.
Fonte: Assessoria de Comunicação Institucional – TJMG
processo: 1.0702.02.007337-6/001
Veja a íntegra do acórdão do TJMG: Caso Megasena e partilha de bens_TJMG

Uma resposta para “DIVÓRCIO E MEGASENA

  1. Na partilha não terá como saber que o indivíduo ganhou na loteria, a não ser que de bandeira, ai sim poderá ser alvo de investigações, não é isso?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s